Pular para o conteúdo principal

MODERNIDADE ARQUITETÔNICA TROPICAL. O patrimônio arquitetônico moderno recifense e sua influência no nordeste brasileiro.

 Alcilia Afonso_ KAKI.


Há muitos anos, venho me dedicando aos estudos da modernidade arquitetônica brasileira, e especificamente,  a produzida em Pernambuco, tendo realizado pesquisas durante meu mestrado em história na UFPE(1998/2000)  sobre a origem da arquitetura moderna em Pernambuco nos anos 30, havendo em 2001, publicado meu primeiro livro resultante dessas investigações,  “Revolução na arquitetura: Recife, década de 30”.

Entre 2002 e 2006, dei continuidade às pesquisas sobe a modernidade arquitetônica,   que possuía como foco a consolidação da modernidade arquitetônica em Pernambuco, como objeto de estudo de minha tese doutoral defendida na Escola Técnica Superior de Arquitetura de Barcelona da Universidade Politécnica da Catalunha/ETSAB/UPC. Tal tese resultou na produção de vários artigos publicados em periódicos e em capítulos de livros, muito deles no exterior.

 Em 2012, a tese foi adaptada para formato de livro, em língua espanhola, intitulado “La Arquitectura moderna en Recife en los años 50”,  produzido pela editora Lapa Lambert na Alemanha e comercializado pela Amazon.

 Desde a  conclusão da minha tese doutoral, sempre desejei realizar a tradução desta para a língua portuguesa, e adaptar todo o conteúdo textual e gráfico que foi tratado de forma acadêmica doutoral, para o formato de livro, mais acessível ao grande público,  composto por um rico acervo documental de fotografias, desenhos, redesenhos dos projetos arquitetônicos, ainda inédito em termos de divulgação do conjunto dessa grande pesquisa realizada durante aproximadamente nove anos (início de 1998 a dezembro de 2006).

 Apenas em 2020, com o início da pandemia, e a necessidade de isolamento social, com o trabalho em home office,  pude rever todo esse rico material e retomar o projeto que tinha em mente, planejando a publicação do livro, aqui proposto. Assim, foi dado início ao trabalho de pré-produção, coletando os arquivos em drives, HDs, selecionando os textos, traduzindo parte destes, adaptando a linguagem acadêmica para uma forma mais leve e acessível a todos, selecionando e tratando o acervo imagético de fotografias, desenhos arquitetônicos, e diagramando a boneca do livro com uma equipe formada de alunos e pesquisadores de iniciação científica, que sempre trabalham ao meu lado, possuindo total domínio de ferramentas gráficas necessárias à retomada da edição de imagens, e diagramação, dialogando com programas de editoração(Indesign), desenhos e redesenhos (Autocad e Skecthup).

Através da publicação desse livro, deseja-se obter como resultado a  educação patrimonial sobre o valor e o papel da arquitetura moderna pernambucana, realizando a divulgação em escolas técnicas estaduais de cidades pernambucanas do agreste, sertão;  e de ensino superior de cursos de áreas das ciências sociais aplicadas, como  de arquitetura e urbanismo, design, história, geografia, antropologia, entre outros.

 O livro intitulado “Modernidade arquitetônica tropical. O patrimônio arquitetônico moderno recifense e sua influência no nordeste brasileiro” é composto por onze capítulos, divididos em duas partes: 











A primeira parte voltada à produção moderna arquitetônica recifense, composta por  oito capítulos que enfocam temas referentes ao entendimento da arquitetura moderna brasileira, ao cenário moderno recifense;  aos princípios projetuais da arquitetura moderna pernambucana, para em seguida observar informações fundamentais sobre a origem da modernidade arquitetônica com a equipe de Luiz Nunes, nos anos 30; o trabalho precursor de arquitetos e professores nos anos 50, tais como Mario Russo, Acacio Gil Borsoi, Delfim Amorim, Heitor Maia Neto enfocando suas biografias, principais obras e estudos de casos simbólicos como o Pavilhão Luiz Nunes,1934; Instituto de Antibióticos; Casa Lisanel de Melo,1954; Casa Torquato Castro,1954; Casa Miguel Vita,1954.

Os capítulos que tratarão sobre Luiz Nunes, Mario Russo, Acácio G. Borsoi, Delfim Amorim e Heitor Maia Neto trarão à tona, dados referentes às suas  formações e influências profissionais recebidas, pois estes além  de atuarem na produção de projetos de arquitetura em Recife, foram os primeiros professores de Arquitetura da EBAP, criada em 1934, e que somente em 1949 contratou Russo, como seu primeiro professor arquiteto, dando início a um processo de contratação de profissionais especializados na área nos anos 50.

Como fontes documentais foram usados materiais coletados nos arquivos da cidade do Recife, tais como os da UFPE/Universidade Federal de Pernambuco;  FUNDAJ/Fundação Joaquim Nabuco, Câmara Municipal do Recife, entre outros, que possibilitou o acesso aos projetos originais, que foram redesenhados para análises arquitetônicas com o intuito de enfocar os princípios projetuais que caracterizam essa produção.  Além disso, por meio de visitas às obras ainda existentes, foi possível realizar análises fotográficas do processo desenvolvido.

A segunda parte  do livro está voltada à difusão da modernidade recifense/pernambucana em estados nordestinos, composta por seis capítulos, observando de que forma os trabalhos dos professores e arquitetos da Escola do Recife se difundiram por cidades pernambucanas do agreste, sertão, entre outras; e nordestinas, como João Pessoa, Campina Grande, Teresina, Fortaleza-   construindo obras arquitetônicas que tinham como princípios projetuais e construtivos os ensinamentos adquiridos  e produzidos em Pernambuco.









Como fechamento, no último capítulo, um texto que analisará o estado da arte  do acervo patrimonial arquitetônico moderno tropical e sua preservação,  enfocando o estado de Pernambuco, especificamente.

 


AFONSO, Alcilia. Modernidade arquitetônica tropical: patrimônio arquitetônico moderno recifense e sua influência no nordeste brasileiro .1. ed. -- Camaragibe, PE: Ed. da Autora, 2022. ISBN 978-65-00-58189-8

Formato: 21,0x21,0 cm. Nº. de páginas: 500. CAPA S/ORELHAS em 4x0 cores, CARTÃO TRIPLEX 300 gr. MIOLO em 1x1 cores, off set 90 gr.

Projeto contemplado no Edital Funcultura Geral 2020-2021

Adquira o seu em: www.grupoarquiteturaelugar.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Art Déco em Campina Grande

Texto: Alcilia Afonso Essa postagem tratará de uma breve introdução sobre o estilo Art Déco encontrado em Campina Grande, que compõe um rico acervo arquitetônico estudado por vários autores que se aprofundaram sobre o tema, como Lia Rossi(2010) e Marcus Queiroz(2008). Para quem se interessar sobre o tema, há também um artigo escrito por AFONSO e ARAÚJO(2015) que explora esta linguagem na cidade de Campina Grande. Esclarecendo o conceito: Art Déco e a protomodernidade.   A linguagem Déco foi uma tendência francesa que surgiu devido a um movimento internacional de design, destacando-se no período de 1925 a 1939, se estendendo pelas artes decorativas, arquitetura, design de interiores e desenho industrial, assim como nas artes visuais, na moda, na pintura, nas artes gráficas e cinema. Pode-se afirmar que, de certa maneira, misturou diversos estilos e movimentos, tais como, o construtivismo, o cubismo, Bauhaus, Art Nouveau, o modernismo e o futurismo.

Raul Cirne: A presença mineira no nordeste brasileiro.

                                                             Texto: Alcília Afonso. AFONSO (2014) vem realizando pesquisas sobre o arquiteto Raul Cirne e sua atuação no nordeste brasileiro, havendo escrito artigos publicados em periódicos e em congressos sobre modernidade arquitetônica e através de tais pesquisas, levantou-se que Raul de Lagos Cirne era filho de Otto Pires Cirne e Maria de Lourdes de Lagos Cirne, e nasceu no dia 04 de agosto de 1928, em Belo Horizonte.                                                    O arquiteto em entrevista à Alcilia Afonso.BH.2013. Foto: Alcilia Afonso/2013. Graduou-se Engenheiro Arquiteto pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais, em 1951, quando iniciou, em seguida, suas atividades como arquiteto.                    Em sua antiga prancheta de trabalho. BH.2013. Foto: Alcilia Afonso/2013. Na sua formação como arquiteto, Cirne conviveu com a implantação da linguagem moderna na ci

Casa Miguel Vita, Recife. 1958: Documentação e arquitetura

Esta postagem visa socializar o material documental produzido por mim,  arquiteta, e professora Dra. Alcilia Afonso de Albuquerque e Melo, que entre 2002 a 2006, realizei minha tese doutoral no Departamento de projetos arquitetônicos da ETSAB/UPC-Barcelona,  e analisei esta obra, entre outras, para minha tese de doutorado sobre a consolidação da arquitetura moderna em Recife, nos 50 (Afonso,2006).                               Vista da fachada principal e lateral direita(nordeste). Fonte: 3D de Ivanilson Pereira 2020, baseado em redesenho em Autocad de Alcilia Afonso. 2004 . Torna-se necessário difundir tal pesquisa, considerando que recentemente, entre os dias 3 e 4 de outubro a  Casa Miguel Vita foi abruptamente demolida , nos restando agora, apenas a documentação produzida para a salvaguarda da memória arquitetônica do bem. Conclui recentemente um artigo sobre a obra a ser publicado em breve- na Revista Mnemosine, do programa de pós-graduação em história da UFCG, que fará parte de u