Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2017

Patrimônio Moderno Industrial Campinense: a fábrica da Wallig Nordeste

A edificação era sede da empresa Wallig Nordeste S.A, uma fábrica de fogões pertencente ao Grupo Wallig do Rio Grande do Sul. Apesar de ser altamente rentável na cidade de Campina Grande, o Grupo chegou à falência por ter que subsidiar a indústria de fogões “Cosmopolita” (situada em São Paulo), que estava com muitos débitos. Isso ocasionou o fechamento de diversas fábricas no Brasil, inclusive a campinense, que encerrou suas atividades em 17 de Setembro de 1979, deixando cerca de 1500 desempregados.  O autor do projeto do grande complexo industrial foi o escritório “Sérgio e Pellegrini Cia Ltda, Estúdio de arquitetura, urbanismo e decorações” localizado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A construtora responsável foi a Construtora Edson de Sousa do  Ó Ltda, que teve o projeto aprovado pela DPU/ Departamento de  Planejamento e Urbanismo da Prefeitura Municipal  de Campina Grande pela em 29 de janeiro de 1965. Desperta interesse a arrojada solução do grande galpão destinado à es

Arquitetura Brutalista Campinense

A arquitetura brutalista em Campina Grande possui obras significativas que nosso grupo vem pesquisando, descobrindo novos nomes, novas produções, ainda não documentadas, e nem estudadas.  Através de projetos de pesquisa de iniciação cientifica, de trabalhos de conclusão de curso, de artigos científicos estamos divulgando a riqueza dessa produção,mas ainda há muito por saber. Abaixo, alguns registros do estado de conservação de obras localizadas na área central da cidade, que constatam o precário estado no qual essas se encontram,não sendo devidamente valorizadas por seus proprietários e responsáveis por suas manutenções. Fotos: Alcilia Afonso de Albuquerque e Melo. Nov.2017 Pirâmide do Parque do Povo. Projeto Carlos de Almeida  Edificio do antigo Museu Assis Chateuabriand. Atual Secult Projeto: Renato Azevedo e equipe

GRUPAL. Grupo de pesquisa Arquitetura e Lugar_ Nova logo, novos passos

Nosso Grupo de pesquisa Arquitetura e Lugar, do curso de arquitetura e urbanismo da UFCG, está com nova logomarca, e esse novo blog. Buscando se repaginar, e estar sempre com propostas novas e divulgando os resultados de nossas pesquisas sobre arquitetura, projetos arquitetônicos, modernidade, patrimônio industrial e moderno, desenvolvendo com nossos colaboradores, investigações  em várias linhas que interagem entre si. A nova logo foi criada pelo design e jornalista Thiago Thamay, que deu uma repaginada, propondo um nome mais sonoro:GRUPAL, e trabalhando a logo de forma mais profissional, com critérios do design gráfico, que o mesmo domina .

Patrimônio na contemporaneidade: o caso de Teresina e seu acervo arquitetônico.

Patrimônio moderno: detalhe estrutura/arquitetura na produção do arquiteto Antônio Luiz. Eldorado Clube. Teresina. 1 - O que poderíamos chamar de patrimônio? O conceito de patrimônio é múltiplo e complexo, pois incorpora outros tais como herança,  identidade, memória, significado, documento, senso de lugar, dentre outros. E nos dias atuais,  não está voltado apenas para  o que é excepcional, mas o que é exemplar, objetos que documentam a história e conforme colocou o autor espanhol Salvador Muñoz Viñas, oferece um elenco de categorias, tais como as antiguidades, as obras de arte, os objetos históricos, os bens culturais materiais ( móveis, imóveis, edifícios e conjuntos urbanos) e os bens intangíveis. 2 - No caso de Teresina, o que temos de patrimônio? Considerando o conceito acima, a cidade de Teresina possui um rol de bens que vão desde os bens materiais, imateriais, obras de arte, objetos históricos que constituem esse acervo. Como por exemplo, o acervo de bens

MODERNIDADE NO NORTE NORDESTE BRASILEIRO. O DIÁLOGO ENTRE ARQUITETURA, TECTÔNICA E LUGAR.

O objetivo desse livro é divulgar as pesquisas que tratam sobre a produção, a tectônica, a materialidade, as soluções projetuais, os autores conhecidos ou ainda desconhecidos dos acervos modernos da região, enfim, o rico patrimônio cultural, especificamente, artístico,  arquitetônico e urbanístico de cidades como por exemplo, Manaus, Belém, São Luís, Teresina, Fortaleza, Campina Grande, Recife, Salvador. Os artigos selecionados e aqui publicados na coletânea, procuraram traçar um panorama embasado nos eixos temáticos propostos, expondo através das pesquisas realizadas, a diversidade do acervo, bem como, material documental que contribui para a construção de uma história, de uma reflexão sobre a modernidade produzida na região do norte e nordeste brasileiro.   NOME DA  ORGANIZADORA Alcilia Afonso de Albuquerque e Melo NOME DA EDITORA EDUFPI, Editora Gráfica Cidade Verde ANO DA PUBLICAÇÃO    2017 ISBN DO LIVRO 978-85-509-0164 CAPÍTULOS

Dados sobre a coordenadora do Grupo de Pesquisa Arquitetura e Lugar.GPAL

Grupo de Pesquisa Arquitetura e Lugar. GPAL O trabalho de documentar a arquitetura do nordeste brasileiro é desenvolvido pelo grupo de pesquisas Arquitetura e Lugar, vinculado ao curso de Arquitetura e Urbanismo da UFCG/Universidade Federal de Campina Grande- que vem investigando e aprofundando questões pertinentes à história da arquitetura da região. Abaixo uma síntese curricular da Coordenadora do Grupo de Pesquisas Arquitetura e Lugar Alcilia Afonso de Albuquerque e Melo Doutora em Projetos Arquitetônicos pela ETSAB/UPC.2006 Professora adjunta do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFCG Email: kakiafonso@hotmail.com Currículo vitae resumido: Possui doutorado em Projetos Arquitetônicos pela ETSAB/ UPC na Espanha (2006), convalidado no Brasil pela UFRGS, mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco / UFPE (2000), sendo especialista em Arte e Cultura Barroca pela UFOP/ MG (1986), em Conservação Urbana pelo CECI/MDU/ UFPE (1998), e graduada

Arquitetura no nordeste brasileiro_ Livros publicados por Alcilia Afonso

Resgate da produção bibliográfica da professora e arquiteta Dra. Alcilia Afonso de Albuquerque e Melo, Kaki, desde 2002 até o momento, atualizado em janeiro de 2021. Revolução na arquitetura: Recife, década de trinta. Intervenções do estado sobre a arquitetura e o espaço da cidade de Recife. Alcilia Afonso de Albuquerque e Melo Teresina. Edufpi: 2002. AF ONSO, ALCILIA. Revolução na arquitetura: Recife, década de 30 . ISBN 8574630373. Teresina: EDUFPI. 2001 . O livro trata da história da implantação da arquitetura moderna na cidade de Recife, Pernambuco, nordeste brasileiro- analisando a ingerência do Estado nesse processo, durante a gestão de Carlos de Lima Cavalcanti (1930-1937), que adotou como ordem política, a utilização do ideário moderno nos projetos arquitetônicos estaduais, através da montagem de uma equipe de projetos liderada pelo arquiteto mineiro Luiz Nunes. A proposta é contrapor arquitetura/cidade; arquitetura/política procurando relacionar os diversos